Prontopiso


Vender imóveis ao público exigente com a Google Cloud Platform

Sobre a Prontopiso

A Prontopiso é a única imobiliária que lhe adianta dinheiro por conta da venda, caso necessite; que lhe dá tempo de encontrar o melhor comprador; e que o acompanha e aconselha desde o momento da avaliação da sua casa até à assinatura da escritura.

Desde que se propôs a criação da Prontopiso, ficou claro que o objetivo não era ser uma montra de propriedades bonitas onde valia a pena viver.

Industries: Real State

Location: Spain

20 de setembro de 2019

Olá Gonzalo, muito obrigado por nos conceder este tempo e por contar connosco para o desenvolvimento do projeto com a GCP. Gostaríamos de começar por saber qual era o desafio da ProntoPiso antes de começar a trabalhar com o Kubernetes.

Olá, tenho muito gosto em poder participar convosco na difusão das vantagens de trabalhar com os serviços Google Cloud Platform. A ProntoPiso é uma imobiliária que quer revolucionar a indústria imobiliária tradicional. Detetámos que uma das estratégias que mais sucesso nos traria neste momento era abrir diferentes áreas de agentes em Espanha com um foco a nível geográfico. 

Temos, atualmente, o caso de Saragoça, por exemplo. Não temos lá um escritório físico da ProntoPiso, mas queremos dar a todos os agentes independentes um stack único para que possam colocar os seus imóveis nos nossos sistemas. A partir daqui, na ProntoPiso, poderemos avaliar o imóvel para validar se lhes podemos oferecer uma garantia ou não. No fim, a referida garantia é que nós adiantamos 100% do montante do imóvel ao cliente.

Vimos uma necessidade e um desafio que não podíamos solucionar facilmente com a plataforma com que estávamos a trabalhar.

A pouca escalabilidade a nível de ambientes

A partir disto, começámos a falar com a Nubalia como Partner da Google e vimos que com o Kubernetes tínhamos a opção de poder gerar vários ambientes dentro de um mesmo servidor para satisfazer estas pequenas áreas. Consiste em colocar um subdomínio como, por exemplo, Zaragoza.piso.com e aí os agentes poderiam trabalhar num ambiente completamente isolado para gerir apenas os imóveis desta cidade. Este era o desafio: poder escalar muito rapidamente todos os ambientes das províncias em Espanha do parque imobiliário.

Soa a desafio Cloud 100%, Consideram que o conseguiram? Ou seja, estão satisfeitos com o potencial de escalabilidade que o Kubernetes tem agora?

Precisamente hoje lançámos a plataforma em GCP e o primeiro stak em Valência e os resultados, de momento, são excelentes. Para os testes, estamos a abrir staks em diferentes cidades e agora planeamos abrir em Málaga, Bilbau e Sevilha, para nós, basta clicar num botão, abrir a zona e a área fica automaticamente disponível com o ambiente Kubernetes montado de uma forma fácil e em 5 minutos. A equipa de negócio está ainda mais contente do que nós, neste aspeto (risos).

As possibilidades – O ponto diferencial

Bom, no fim de contas, a Google Cloud Platform tem algo a contribuir para cada departamento. No vosso caso, como beneficiaram do trabalho através de um partner e não diretamente com a Google?

No nosso caso, o Enrique (Cloud Director Nubalia) e a Yolanda (Apigee Lead Google) entraram em contacto connosco pela primeira vez e vieram acompanhados pela Google, que tem o seu peso. Aqui antigamente erámos um hub onde todos trabalhavam com a Amazon Web Services. No fim, a marca Google já gera esta predisposição para ouvir o que nos vão oferecer. Quando começamos a olhar para todo o pacote de serviços que a Google Cloud oferece é fácil perdermo-nos, dada a multiplicidade de serviços que podemos contratar. Estar acompanhado por um partner neste caso, e com toda a assessoria que nos estavam a dar facilita muito as coisas (Além de todo o conhecimento específico dos serviços da Google que nos estavam a oferecer, orientado precisamente para o que procurávamos ao nível de negócio). Creio que a parte mais complexa quando nos apresentamos à porta da casa Google é precisamente não sabermos que porta abrir primeiro, pois existem muitos serviços e ferramentas.

É verdade, por vezes, é uma verdadeira odisseia entrar neste mundo sem o acompanhamento adequado. Já tinha referido que antes trabalhavam com outra nuvem, mas porquê a mudança?

Bom, a explicação é muito simples, é o que o Google tem de diferente dos outros e é precisamente aquilo que eu comentava sobre a ProntoPiso. Adiantamos 100% do valor de um imóvel ao cliente. Para fazer isto, assumimos um risco bastante elevado, pois se não vendermos o imóvel em 90 dias, adiantaremos automaticamente o dinheiro com os fundos da ProntoPiso.

Como tal, na parte cloud não só precisávamos do Kubernetes, mas também da parte Data, e foi precisamente a solução da Google que integra o Kubernetes com todos os serviços de data de uma forma muito fácil que foi o gatilho final para dizer: “Vamos atirar-nos para a piscina, vamos com a Google”

Até ao momento, estamos a gostar do que nos está a mostrar, sabíamos que não se tratava apenas do Kubernetes. Além do Kubernetes, o que está a apaixonar os Data Scientists que temos aqui é o Big Query. Poder construir modelos ligados diretamente a serviços que temos nos Kubernetes e isso está a apaixoná-los. Em resumo, a vantagem da Google Cloud é isso, a facilidade de integração de data e estrutura.

E agora que já estão completamente metidos na piscina, planeiam iniciar outro projeto GCP?

Desde o primeiro dia concordámos com o Enrique sobre um projeto em que ele já estava a trabalhar no México. Estamos de olho na visão API da Google porque é uma das missões que gostaríamos de cumprir na ProntoPiso. Passo a explicar, todos sabemos que quando estamos em casa e nos tocam à campainha, abrimos a porta e vemos que é um comercial do setor imobiliário, a primeira coisa que pensamos é: “Outra vez não!”. Não gosto, porque no fundo é uma zona muito massificada. O que queremos é tornar esta parte, ou seja, a avaliação do imóvel, algo mais divertido e que seja o mais próximo da realidade.

E agora estamos a tentar trabalhar com um projeto que tem que ver precisamente com a Visão API. De forma que, o mesmo cliente, quando faz a sua avaliação, poderá fazer o upload de imagens do seu imóvel e essas imagens conseguem articular o preço da avaliação do imóvel. Por exemplo, poderá detetar luminosidade do piso. Uma das problemáticas é que nós temos a informação macro dos portais, temos informação de mercado dos imóveis, mas o estado do interior de um imóvel ninguém sabe qual é, ninguém conseguiu passar da porta para dentro.

O que queremos é conseguir entrar nestes imóveis para, no fim, dizermos que estamos a falar de imóveis com estas características que, estatisticamente, se poderia extrapolar para quintas vizinhas simplesmente com alguns modelos interessantes. A contrapartida disto é que tem de se fazer uma ferramenta como se fosse um brinquedo para o cliente para que ele veja que carrega imagens dos seus imóveis e, automaticamente, isso condiciona a avaliação desta propriedade.

Afinal, este é um dos projetos com o qual estamos muito entusiasmados. Vamos dedicar muita energia a esta parte, queremos treinar bastantes modelos, a ponto de dizer “vamos entrar todas as imagens dos fornos que há na Amazon, por exemplo, de todas as vitrocerâmicas, de todas as campanhas, de sofás, de lâmpadas e, no fim, conseguir detetar a qualidade destas variáveis qualitativas que existem dentro de um imóvel que não podemos ver, salvo quando os comerciais se deslocam ao imóvel. E isso é o que queremos transformar e digitalizar em data no final.

Poderiam enriquecer-se muitas coisas com esta ferramenta, então continuamos a trabalhar e ainda estamos a definir melhor o modo e o que realmente queremos fazer, mas acreditamos que isso pode ser alcançado de uma forma bastante simples e a curto prazo, graças justamente à parte de Vision API, porque não é apenas o que a Google oferece já feito, é a forma como pode treinar e desenvolver o que deseja, que é a parte mais bonita de um modelo de negócio.

Bem, que bom Gonzalo, por favor. Conseguimos perceber o entusiasmo com o projeto e é um prazer para nós podermos participar no desenvolvimento de algo assim. Além disso, não quero nem imaginar o que virá a seguir!

Sim, e a ideia é seguir em frente e continuar a fazer coisas novas, pois a Google também avança e fá-lo com passos de gigante. E ao Enrique vamos dar-lhe a missão de realizar o estudo preliminar e de nos dar algumas pistas, para depois.

Obrigado, Gonçalo, por partilhar connosco este caso e a experiência da Prontopiso.

Nada, nada. Muito obrigado por nos darem esta oportunidade de vos termos connosco para avançar neste projeto. No fim, o resultado será fruto de todos, isso é certo.